Carta aberta a Valter Hugo Mãe

Decorre, de 11 a 15 de junho, a Feira do Livro de Jerusalém.
A convite da organização e da Embaixada de Portugal em Telavive e com o
apoio do Camões, I.P., marcará presença na Feira o autor Valter Hugo
Mãe, cuja obra em Israel tem sido muito apreciada, em particular o seu
livro “A máquina de fazer espanhóis”.

Valter Hugo Mãe participará, com o escritor israelita Eshkol Nevo, numa
conversa literária, no dia 14 de junho, às 18h30, no auditório da Feira
do Livro.

Carta enviada por Helena Ferreira ao VHM

Caro Valter Hugo Mãe,
Foi com alguma surpresa que tive conhecimento da sua participação na
Feira do Livro de Jerusalém, que irá decorrer de 11 a 15 de Junho de
2017. Esta minha surpresa deve-se ao facto de o ter ouvido numa
conferência sobre direitos humanos, na Fundação Calouste Gulbenkian,
afirmar que para si a arte não faz sentido, se não estiver atento ao
mundo que o rodeia.

Ora, se de facto se mantém atento, o Valter Hugo Mãe sabe bem que
Israel, actualmente, é uma máquina de (des)fazer palestinos, cujo
objectivo é aniquilar a população local seja por genocídio, migração
forçada,assimilação ou marginalização, para fundar uma nova sociedade,
substituindo uma população por outra.

Estou certa de que também tem conhecimento que muitas personalidades
internacionais condenam estas políticas de Israel que violam os direitos
humanos de todo o povo palestino e que há muito ultrapassaram todos os
limites da humanidade. Boicotar Israel é reclamar apenas que este país
cumpra o direito internacional e os direitos humanos estabelecidos, ou
seja, que coloque um fim à ocupação e colonização das terras árabes
ocupadas em Junho de 1967 e que derrube o muro da Cisjordânia, que
reconheça os direitos fundamentais de igualdade dos cidadãos
palestinianos e que respeite, proteja e promova os direitos dos
refugiados palestinianos para que estes possam voltar para as suas casas
e propriedades tal como estipulado na resolução n.º194 da ONU.

Por todos estes motivos, espero sinceramente que cancele a sua presença
na Feira do Livro de Jerusalém e, deste modo, se posicione contra a
colonização e o apartheid de que o povo palestino é alvo por parte de
Israel.

Agradeço, desde já, a sua atenção para este assunto.

Com os melhores cumprimentos,
Helena Ferreira

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas