O Morto. está vivo!

“Se o oportunismo e o aproveitamento político pagassem imposto, não seriam preciso parquímetros na cidade para Rui Moreira encher os cofres da Câmara.

Em jeito de resposta ao candidato Moreira:

Antes de tudo queremos agradecer ao candidato Moreira o enorme apoio que deu ao tornar o nosso humilde protesto numa matéria de notícia nacional. Se antes só uma pequena parte da sociedade portuense tinha reparado que andavam uns autocolantes (que diga-se de passagem são os mais bonitos do mundo) por certos bairros do centro histórico, agora até nas moradias da foz e nos banquetes da burguesia se fala deste nosso pequeno acto de amor pelo Porto (sem ponto).

Sim, porque estamos a falar de um acto de amor pela cidade, financiado pelos nossos bolsos que de certeza não estão tão cheios como os do candidato Moreira ou os dos fundos de investimento imobiliário. Também, como o candidato Moreira sabe que nós sabemos que ele sabe, este acto de amor não saiu de nenhuma sede de campanha de nenhum dos seus adversários até porque sabemos como a política dos partidos é aborrecida e cinzenta (nunca poderiam criar uma coisa tão bonita e colorida).

Por outro lado, e sendo os nossos humildes autocolantes foco da atenção do candidato Moreira temos um par de coisas a dizer-lhe.

A primeira é, evidentemente, que se queria falar dos nossos autocolantes não devia censurá-los só para criar um discurso que lhe sirva para se fazer de virgem ofendida a ver se ganha mais uns votos. Um dos autocolantes tem uma segunda parte que o candidato ou alguém da sua candidatura com saudades do lápis azul fez desaparecer. A segunda parte que dizia “European Best Gentrification 2017” não permitiria ao candidato Moreira poder dizer que quem fez os autocolantes eram gente que odeia ao Porto, que estão contra o candidato (claro que estamos, mas também estamos contra todos os outros), e permitiria a toda a gente perceber “qual o fim que perseguimos”.

O segundo detalhe é uma questão de timings. Como o candidato Moreira sabe que nós sabemos que ele sabe, este autocolantes começaram a aparecer na cidade por volta de meados de Abril de 2017 e não nos últimos dias em que o candidato Moreira se dispôs a passear pela cidade com o seu núcleo de acólitos atrás. Por isso todo o discurso tentando vincular o nosso singelo gesto às eleições só pode ter um nome, oportunismo. Temos quase a certeza que o candidato Moreira não precisaria de tal coisa para ganhar o circo eleitoral mas assim sendo, poderia ao menos ter um pingo de vergonha e de honestidade intelectual e fazer as coisas direitinhas. Afinal parece-nos a nós ser bastante mais cobarde tentar condicionar as pessoas através de (e para sermos modernos e não nos acusarem de velhos do Restelo) pós-verdades, do que fazer uns míseros autocolantes sem cara mas com uma mensagem crítica. Se preferimos o anonimato é porque conhecemos o quão repressivo pode ser o poder, como mostrou Rui Moreira na sua publicação onde só lhe falta apelar à guerra santa contra o infiel.

Há também quem queira ver isto como uma coisa quase xenófoba contra quem nos visita. Nada mais errado. Estamos de braços abertos para todos que nos queiram visitar. Só não vamos deixar prostituir a cidade. E a nós parece-nos que nesse processo de prostituição da cidade do Porto, o proxeneta dá pelo nome de PORTO..
O Porto não é uma marca - O Porto é as nossas vidas e as nossas vidas não estão à venda. Mas como para o candidato/empresário tudo pode ser vendido e comprado, as nossas vidas e a nossa cidade não passam de coisas que podem ser prostituídas e de onde se podem tirar lucros imensos.

Para PORTO. a cidade dinâmica mede-se pelo dinamismo das pessoas a pegar nas suas troxas para ir para os subúrbios, pela rapidez que se fecham tascos e se abrem bares de tapas e pela subida em flecha dos preços da habitação.

Bom, e como a resposta já vai longa e nós também andamos em campanha, fica só um último esclarecimento para que fique claro e se acabe com as calunias (essas sim cobardes) que sobre nós foram ditas.

Morto. não é nenhum movimento político nem tem ligação a nenhum partido.

Reclamamos o direito à opinião do processo de reconversão da cidade.

Morto. é a cidade humilde, rebelde e viva. Porto. é a cidade do não-lugar, sem as suas gentes, morta.

Este não é o primeiro autocolante e não será o último.

8 de Agosto de 2017
Morto.
Best European Gentrification 2017”

Imagem

Comentários

Alfarrabista João Soares despejado

E é nisto que se está a tornar o Porto, uma cidade descaracterizada, transformada num perfeito deserto de comes e bebes para turistas low cost...
Altura de agir??

http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/alfarrabista-joao-soares-despejado-...

Opções de visualização dos comentários

Seleccione a sua forma preferida de visualização de comentários e clique "Guardar configuração" para activar as suas alterações.

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas