[Flotilha da Liberdade 2018] Por perdemos demasiadas vezes as pequenas vitórias são fundamentais para abrir novos caminhos

Por perdemos demasiadas vezes as pequenas vitórias são fundamentais para abrir novos caminhos. O braço de ferro para dobrar as autoridades marítimas, que arriscaram dar o dito por não dito na autorização para que a Flotilha da Liberdade pudesse atracar na Marina de Cascais, foi ganho depois de mais de 12 horas de impasse. Além dos capitães e da tripulação de ambos os barcos na pessoa da Zohar Chamberlain Regev, da equipa de comunicação e do apoio terra - reforçado com uma mão cheia de voluntários - na pessoa da Marny Kit Kittredge, importa dizer que sem os esforços da Gisandra C. Oliveira, do António Mariano e do Carlos Almeida, em seu nome e em nome das organizações que representam, não teria sido possível saborear esta pequena mas saborosa vitória contra a sempre poderosa neblina dos interesses de Israel em Portugal. As dificuldades iniciais, agora ultrapassadas, são um tónico para continuar esta estratégia de luta contra o bloqueio colonial de Israel à Palestina e mais um bom motivo para que participem nas actividades agendadas até sexta-feira, às 10h, tempo em que a Flotilha se volta a fazer ao mar rumo a Gaza. #Freedom #Arwa #Lisboa #Gaza #Nakba70

via Renato Teixeira

Comentários

Submeter um novo comentário

O conteúdo deste campo é privado e não irá ser exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta pergunta serve para confirmar se és uma pessoa ou não e para prevenir publicaçãos automatizadas